Como se formar no Brasil? Veja aqui todas as formas de ingressar às universidades brasileiras

O Brasil conta hoje com um dos sistemas educacionais mais promissores da América Latina, da Universidade de São Paulo ou da Universidade Federal do Rio Grande do Sul são, por exemplo, das mais importantes da América latina, e em ranking mundial de universidades estão dentro das 50 melhores do mundo.

O país tem conseguido esses resultados depois de anos de trabalho na construção de um sistema de Educação Superior sólido, que ainda tem muito caminho a percorrer, mas que caminha para a frente.

Dizíamos antes que a diversidade faz parte das características essenciais do método de entrada ao sistema de Educação Superior brasileiro, mas por que dizemos isso? Porque no Brasil não há um único método de acesso à formação superior, de facto, embora nos últimos anos se começou a estabilizar esta questão para que qualquer estudante, a partir de qualquer parte do país possa ingressar em universidades públicas, seguindo o mesmo método, a verdade é que ainda em muitas instituições de nível superior são utilizadas outras modalidades para permitir o acesso aos futuros alunos.

Claro, existem dois métodos que se destacam por cima do resto: o ENEM e a prova de vestibular.

Como se formar no Brasil

ENEM

Também conhecido como o Exame Nacional do Ensino Médio, esta é a prova que foi criado o Ministério de Educação no Brasil para avaliar, em primeira instância, a qualidade geral do ensino secundário. Ao menos nesses termos nasceu, no entanto, hoje, a sua importância se deve ao fato de que o ENEM é a prova de acesso às universidades públicas federais do país e também para as instituições privadas. A inscrição é feita online e em breve a prova também o será. Para saber mais informações de como funcionará o ENEM 2020 consulte o link: https://inscricoesenem2019.com.br/

O ENEM tem-se constituído como a prova mais importante do Brasil, uma vez que praticamente todas as universidades públicas do território brasileiro, já a adotam como método de ingresso dos alunos, através do Sistema de Seleção Unificada (Sisu).

Esta prova de seletividade é feita de forma anual e nele podem participar todos os estudantes que estão prestes a se formar, em nível médio, ou que já contam com os seus estudos secundários completos. A única diferença neste ponto reside no fato de que os primeiros não terão que pagar a taxa de 35 reais no conceito de direito em análise, enquanto que aqueles que não sejam alunos regulares de uma instituição de nível médio, sim você terá que pagá-la. Claro que há exceções, uma vez que os jovens que pertençam a um grupo familiar de baixa renda também não terão que pagar esta taxa.

O ENEM costuma realizar-se durante o mês de novembro de cada ano, consistindo em uma redação e quatro provas com 45 questões de múltipla escolha.

Em 2014 já se inscreveram no exame, mais de 9,5 milhões de pessoas.

Com esse resultado em mãos você poderá fazer:

  • Prouni (alunos de baixa renda para ingressar nas universidades particulares)
  • Sisu (para ingressar nas universidades federais)
  • Pronatec (inclusão em programas tecnólogos)
  • FIES (financiamento estudantil)

Exame vestibular

Este é um exame ainda adotado em várias instituições do país. Na Universidade de São Paulo, por exemplo, é o método utilizado para dar acesso aos alunos para os programas de estudo da instituição.

Em linhas gerais, o vestibular é projetado para avaliar os conhecimentos adquiridos do estudante ao longo de sua formação na escola primária e secundária.

Este tipo de exame é administrado por instituições que foram criadas para esta tarefa em particular. FUVEST, VUNESP, CESPE e COMVEST são algumas das comissões mais populares no setor, encarregadas de fazer os exames de universidades como a de São Paulo, Universidade Estadual Paulista, Universidade de Brasília e a Universidade Estadual de Campinas.A estrutura da prova seletiva pode variar dependendo da instituição de avaliação, mas em termos gerais, o exame costuma ser dividido em duas partes. Na primeira, o estudante deverá responder uma série de perguntas de múltipla escolha sobre disciplinas.

Para poder realizar a segunda parte, você deve aprovar a primeira e, nesse caso, a prova consistirá em demonstrar através de explicações concretas, que o estudante pode aplicar de forma prática os conhecimentos adquiridos. Também nesta instância costumam responder perguntas específicas sobre a faculdade a que se pretende aceder.

É preciso detalhar que no Brasil a cada instituição de nível superior poderá escolher o seu próprio método de entrada para os programas de formação que oferecem, e isso é independente do fato de que as instituições, sejam públicas ou privadas, desde que a autonomia esta decisão se aplica a qualquer tipo de estabelecimento de ensino superior.