Educação

As mudanças para o polonês nos séculos XX – História

Parecia que tudo estava indo muito bem para os poloneses que vivem no Brasil, mas então algo inesperado aconteceu. A lei introduzida em 26.8.1939 apenas alguns dias antes do início da Segunda Guerra Mundial colocou muitas proibições sobre os estrangeiros que vivem no Brasil.

A principal razão para este ato foi o poder crescente dos imigrantes alemães no sul do país. Para evitar que o seu poder de aumentar ainda mais, daquele dia em diante, o governo Brasileiro tornou obrigatória para as crianças a aprender nas escolas tudo em português, bem como aprender sobre a história e a geografia do país. O mesmo se refere ao uso das línguas maternas nas igrejas, em lugares públicos ou durante o serviço militar. Tratava-se de criar uma consciência nacional única.

O impacto natural disso foi que os descendentes poloneses que já não viviam na Polônia por tantos anos, muitas vezes já nascidos no Brasil, começaram a esquecer suas origens e sua cultura.

O Papa Karol Wojtyla

Uma grande mudança aconteceu depois que Karol Wojtyla da Polônia se tornou o chefe da Igreja Cristã. Desde sua eleição pode ser observado um despertar do Espírito Polonês entre os descendentes de imigrantes, a busca por suas raízes, bem como a apreciação das culturas, tradições e costumes poloneses.

Hoje Em Dia, Curitiba

Se você viajar hoje em dia para a região do Paraná, verá muita influência polonesa. Por causa de um grande número de pessoas com origens polonesas você pode observar muitos edifícios seguindo o estilo de arquitetura Polonês, você pode experimentar cozinha polonesa (como pierogis, Zurek etc) ou participar de atividades tradicionais, como performances de dança ou Missa de Páscoa. A cidade é também a localização do Consulado Polonês no Brasil e em algumas universidades há a possibilidade de ter aulas de língua polonesa.

 

Descendentes poloneses têm contribuído para o desenvolvimento da economia brasileira por muitos anos, ao mesmo tempo em que ensinam aos brasileiros sobre a cultura polonesa. Curitiba é considerada uma das cidades mais desenvolvidas do País de origem e como conclusão pode-se dizer com certeza… imigrantes contribuíram para este status.

 Início da emigração Polonesa para o Brasil – História – Nomes

A cultura polonesa está em muitas coisas no nosso dia-a-dia, seja na culinaria ou costumes, até mesmo nos nomes dos nossos filhos. Se quer saber mais sobre esse povo, não deixe de ler as próximas linhas.

Pensando nos destinos dos emigrantes poloneses, os primeiros países que vêm à mente de muitos São: Estados Unidos, Alemanha, REINO UNIDO e Canadá. Provavelmente uma das cidades mais conhecidas com o maior número de descendentes poloneses fora da Polônia é Chicago.

Bosque da cultura Polonesa em Curitiba

Surpreendentemente para muitos, a segunda cidade é chamada Curitiba no Brasil, a única cidade brasileira que ganhou seu nome próprio em língua polonesa, sendo chamada Kurytyba. A Imigração Polonesa no Brasil começou em agosto de 1869, quando um grupo de 16 famílias polonesas (cerca de 80 pessoas) chegou de navio para a costa brasileira. Não foi fácil trazer Poloneses para o território do Brasil.

Envolveu muitos meses de negociações com o governo brasileiro para criar um espaço para eles na parte sul do país que já estava ocupada por outras nacionalidades, especialmente alemães. No final dessas negociações, o governo brasileiro financiou as viagens de famílias polonesas e todas elas receberam um alojamento em uma cidade chamada Pilarzinho perto de Curitiba, no Estado do Paraná.

Brasil e os imigrantes

Os poloneses não foram os únicos que emigraram naquela época para o Brasil, na verdade havia muitas outras nacionalidades que emigraram para este país distante, como portugueses, alemães, italianos, etc. A principal razão associada a esta tendência foi o acordo assinado com a Inglaterra em 1830, falando sobre o transporte de escravos da África tornando-se ilegal.

Devido à falta de mão-de-obra barata, o Brasil começou a procurar substitutos na Europa, atraindo pessoas que muitas vezes estavam vivendo em miséria com perspectivas de vida melhor, transporte gratuito e alojamento.

chegada dos poloneses no brasil

A Polônia se dividiu desde 1795 entre três invasores não existiam, em muitos casos as pessoas foram roubadas de todos os seus pertences e houve várias tentativas de eliminar ou até mesmo destruir totalmente a cultura polonesa. O conceito brasileiro, portanto, apelou a muitas pessoas. Estima-se que entre 1869 e 1920 aproximadamente 60 000 poloneses se mudaram para o Brasil.

Os polacos, tal como outros estrangeiros, sofriam de muitas dificuldades no início, tais como aprender a nova língua, adoptar o novo clima, etc. Como em tudo, porém, o tempo ajuda a superar todos os problemas. Com o tempo eles conseguiram criar sociedades com igrejas e escolas polonesas, as pessoas encontraram sua nova casa…

Se você vai prestar o vestibular, precisa conhecer o PROUNI

Se você tem o sonho de cursar uma universidade, então já deve conhecer algumas das formas de tornar isso realidade. Existem as provas específicas de cada instituição, e também o Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM), que é a prova mais famosa no Brasil, com uma média de 5,5 milhões de inscritos anualmente.

A nota do ENEM permite que o candidato se inscreva para faculdades privadas e públicas em todo o país, mas também existem outros programas de ingressão, e um deles é o PROUNI.

Neste post, você vai ficar sabendo tudo sobre o PROUNI e como usá-lo para entrar na graduação!

O que é o PROUNI?

O Programa Universidade para Todos – PROUNI oferece bolsas de estudos de 50% e 100% para faculdades particulares, contemplando alunos de baixa renda.

O PROUNI é um dos programas que te ajuda a entrar na faculdade (Reprodução/Guia do Estudante)

O PROUNI foi criado em 2004 pelo Governo Federal, e cobre todo o período do curso escolhido, desde que o aluno cumpra os requisitos exigidos pelo programa.

Como funciona o PROUNI?

O PROUNI abre as inscrições semestralmente, ou seja, duas vezes por ano. Ele disponibiliza as bolsas para os participantes do ENEM do ano anterior – logo, o PROUNI 2019 é para todos que prestaram o ENEM em 2018.

Após a inscrição, é feita uma pré-seleção dos candidatos a partir da média obtida no ENEM, e são escolhidas uma opção de curso prioritária e uma secundária.

O programa realiza o cálculo da nota de corte baseado no número de vagas disponíveis e nas notas de todos os candidatos que escolheram determinado curso.

Todo o acompanhamento do processo e o resultado são disponibilizados na plataforma on-line. Se você for aprovado na seleção do PROUNI, basta ir até a instituição escolhida e terminar a matrícula presencialmente, conforme exigido por cada universidade.

Quem participa do PROUNI?

Por se tratar de um programa de bolsas para alunos de baixa renda, grande parte dos critérios é socioeconômico. Confira as especificações:

  • ser aluno de escola pública – ter estudado o ensino médio em escola pública, ou em escola particular, através de bolsa integral;
  • ter feito o ENEM – o candidato deve ter prestado o exame no ano anterior, ter tirado no mínimo 450 pontos e não ter zerado a redação;
  • ser professor de escola pública – professores também podem participar da seleção para ter uma especialização ou uma segunda graduação relacionada à sua área de atuação;
  • pessoas com deficiência – no momento da inscrição, basta apresentar os documentos que comprovem a deficiência.

Além disso, as bolsas de 100% são disponibilizadas para pessoas com até 1,5 salário-mínimo per capita, e as de 50% para pessoas com até 3 salários-mínimos.

Como posso me inscrever no PROUNI?

A inscrição para o PROUNI é feito de forma totalmente digital, através do site oficial do programa. Você informa seu CPF, junto do número de inscrição da última prova do ENEM. Em seguida, responda o questionário proposto e seleciona suas duas opções de curso. Depois, é só aguardar o resultado!

Caso você seja selecionado, a instituição escolhida irá orientar como você realiza a matrícula presencialmente e quais os documentos necessários. Não se esqueça de comprovar sua renda e de ter cursado escola pública!

Como se formar no Brasil

Como se formar no Brasil? Veja aqui todas as formas de ingressar às universidades brasileiras

O Brasil conta hoje com um dos sistemas educacionais mais promissores da América Latina, da Universidade de São Paulo ou da Universidade Federal do Rio Grande do Sul são, por exemplo, das mais importantes da América latina, e em ranking mundial de universidades estão dentro das 50 melhores do mundo.

O país tem conseguido esses resultados depois de anos de trabalho na construção de um sistema de Educação Superior sólido, que ainda tem muito caminho a percorrer, mas que caminha para a frente.

Dizíamos antes que a diversidade faz parte das características essenciais do método de entrada ao sistema de Educação Superior brasileiro, mas por que dizemos isso? Porque no Brasil não há um único método de acesso à formação superior, de facto, embora nos últimos anos se começou a estabilizar esta questão para que qualquer estudante, a partir de qualquer parte do país possa ingressar em universidades públicas, seguindo o mesmo método, a verdade é que ainda em muitas instituições de nível superior são utilizadas outras modalidades para permitir o acesso aos futuros alunos.

Claro, existem dois métodos que se destacam por cima do resto: o ENEM e a prova de vestibular.

Como se formar no Brasil

ENEM

Também conhecido como o Exame Nacional do Ensino Médio, esta é a prova que foi criado o Ministério de Educação no Brasil para avaliar, em primeira instância, a qualidade geral do ensino secundário. Ao menos nesses termos nasceu, no entanto, hoje, a sua importância se deve ao fato de que o ENEM é a prova de acesso às universidades públicas federais do país e também para as instituições privadas. A inscrição é feita online e em breve a prova também o será. Para saber mais informações de como funcionará o ENEM 2020 consulte o link: https://inscricoesenem2019.com.br/

O ENEM tem-se constituído como a prova mais importante do Brasil, uma vez que praticamente todas as universidades públicas do território brasileiro, já a adotam como método de ingresso dos alunos, através do Sistema de Seleção Unificada (Sisu).

Esta prova de seletividade é feita de forma anual e nele podem participar todos os estudantes que estão prestes a se formar, em nível médio, ou que já contam com os seus estudos secundários completos. A única diferença neste ponto reside no fato de que os primeiros não terão que pagar a taxa de 35 reais no conceito de direito em análise, enquanto que aqueles que não sejam alunos regulares de uma instituição de nível médio, sim você terá que pagá-la. Claro que há exceções, uma vez que os jovens que pertençam a um grupo familiar de baixa renda também não terão que pagar esta taxa.

O ENEM costuma realizar-se durante o mês de novembro de cada ano, consistindo em uma redação e quatro provas com 45 questões de múltipla escolha.

Em 2014 já se inscreveram no exame, mais de 9,5 milhões de pessoas.

Com esse resultado em mãos você poderá fazer:

  • Prouni (alunos de baixa renda para ingressar nas universidades particulares)
  • Sisu (para ingressar nas universidades federais)
  • Pronatec (inclusão em programas tecnólogos)
  • FIES (financiamento estudantil)

Exame vestibular

Este é um exame ainda adotado em várias instituições do país. Na Universidade de São Paulo, por exemplo, é o método utilizado para dar acesso aos alunos para os programas de estudo da instituição.

Em linhas gerais, o vestibular é projetado para avaliar os conhecimentos adquiridos do estudante ao longo de sua formação na escola primária e secundária.

Este tipo de exame é administrado por instituições que foram criadas para esta tarefa em particular. FUVEST, VUNESP, CESPE e COMVEST são algumas das comissões mais populares no setor, encarregadas de fazer os exames de universidades como a de São Paulo, Universidade Estadual Paulista, Universidade de Brasília e a Universidade Estadual de Campinas.A estrutura da prova seletiva pode variar dependendo da instituição de avaliação, mas em termos gerais, o exame costuma ser dividido em duas partes. Na primeira, o estudante deverá responder uma série de perguntas de múltipla escolha sobre disciplinas.

Para poder realizar a segunda parte, você deve aprovar a primeira e, nesse caso, a prova consistirá em demonstrar através de explicações concretas, que o estudante pode aplicar de forma prática os conhecimentos adquiridos. Também nesta instância costumam responder perguntas específicas sobre a faculdade a que se pretende aceder.

É preciso detalhar que no Brasil a cada instituição de nível superior poderá escolher o seu próprio método de entrada para os programas de formação que oferecem, e isso é independente do fato de que as instituições, sejam públicas ou privadas, desde que a autonomia esta decisão se aplica a qualquer tipo de estabelecimento de ensino superior.